REPRESENTATIVIDADE É IMPORTANTE? – CRÔNICAS POÉTICAS #4

Black Nerd 1

“Representatividade não é tão importante assim, um menino negro pode brincar com o boneco do Thor e não ver nenhum problema nisso” Concordo, em partes, com a frase anterior, mas se esse mesmo menino pudesse escolher entre o boneco do Thor e o do Pantera Negra, não seria mais legal? Representatividade é muito importante e hoje falaremos sobre como Mulher-Maravilha, Homem-Aranha, de volta ao lar e Pantera Negra são filmes importantíssimos para as minorias sociais.

Ladies first, pois bem, então vamos de Mulher-Maravilha. A principal heroína do mundo ganhou, tardiamente, seu filme solo. Sucesso de crítica e de bilheteria, o filme conseguiu ser um marco para a história do cinema por vários motivos, mas vamos salientar somente dois: Pela primeira vez uma nova geração de meninas nerds pode se ver em um papel de liderança, tendo sua importância muito superior aos personagens masculinos. A outra foi pela criação de sessões de cinema voltadas inteiramente ao público feminino, algo também inédito e que rendeu boas discussões sobre a importância da igualdade de gênero. Ahhhhh, o filme é bom demais, não deixem de assistir.

O teioso voltou ao cinema em seu terceiro reboot. Homem-Aranha, de volta ao lar, traz uma versão do amigão da vizinha ainda adolescente, sofrendo com dilemas escolares enquanto precisa ser um super-herói bom o suficiente para suas pretensões (o que ele quer mesmo é entrar para os vingadores). O filme é um show de representatividade. Seu melhor amigo, Ned Leeds, é um gordo havaiano, seu interesse amoroso, Liz Allan, é negra, Flash Tompson tem ascendência latina, assim como Mary Jane, que teve seu visual mudado visando uma maior interação com a globalização que é uma das marcas do nosso século. Vale ressalvar que todos esses personagens nos quadrinhos são brancos.

Por último, vem o Pantera Negra. Não é preciso dizer o quanto estou ansioso para esse filme. Agendado para fevereiro de 2018, Pantera Negra surge como o primeiro filme de super-herói com um protagonista negro. Tivemos uma tentativa disso com a Mulher-Gato da Halle Berry, mas é melhor esquecer… Os trailers e fotos de divulgação mostram uma África extremamente high tech sem nenhum ranço de piedade que é explorado ofensivamente pelos cinemas. Original de Wakanda, o herói precisa proteger as fronteiras do seu país contra os eminentes ataques visando à exploração do local (qualquer semelhança não é coincidência). A aparição de T’challa, o Pantera Negra, no filme Capitão América 3 – Guerra Civil já mostra um caráter badass que nos deixa empolgados por sermos representado por ele.

Que época boa para ser nerd, principalmente quando podemos nos orgulhar de um cinema que conseguiu enxergar que dá pra ganhar dinheiro desempenhando um importante papel social. Agora é esperar que venham outros filmes de super-herói que representem mais e mais minorias. Já temos nossa super-mulher, nosso super-negro, falta o super-gay, né? Fica a dica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s