O POLICIAL E O PROFESSOR – POESIA CRÔNICA #3

Prof

Era domingo à noite

O professor, já cansado,

Por saber que o amanhã

Chegaria no hoje

 

Foi abordado numa blitz

Seu semblante triste

Indicava o cansaço

Deveria medir cada passo

Para sair dali rápido

 

“Sai do carro, vagabundo”

Gritou o policial mal encarado

Com a arma em punho

E o professor, por dentro,

Achando aquilo um absurdo

 

“Tenho a profissão

Que tenta mudar o mundo

E assim que sou tratado?”

Pensou o professor calado

 

“Rápido, rápido…”

Continuava o guarda exaltado

“Sai do carro!!!”

 

Assim o professor o fez

Com as mãos na cabeça

E a fala na boca

Só esperava a sua vez

Para conseguir entender o motivo

De não ser tratado como um amigo

 

“Vagabundo, tava indo pra onde?”

Perguntou exibindo seu teor de guarda

“Para a minha casa e ela nem é tão longe”

Respondeu o professor

Procurando qualquer calma

 

O policial fez outros questionamentos

O professor respondeu a todos

Esperou o seu momento

Levantou a mão e começou:

 

“Você pode não me chamar de vagabundo?”

O policial deu um sorriso desdenhoso

“E então, Sr. Moço”

Falou ironicamente

“Do que eu te chamo?”

 

“Eu trabalho como professor”

Ele falou sem desviar o olhar

“Se me chamar assim, irá me agradar.”

 

O policial soltou um riso soturno

Cruzou os braços e disse:

“Então vou te chamar de Professor Vagabundo.”

 

Todos riram

Menos o professor, é lógico

Ele achou aquilo de outro mundo

Mas percebeu algo na frase

Que despertou seu lado astuto

 

“Fique à vontade

Só me tire uma dúvida

Você irá me chamar de Professor Vagabundo

Adjetivando o substantivo

Para que faça algum sentido

Tipo um apelido

Que se coloca no maternal

Nunca por mal, eu sei

Ou esse vagabundo da sua frase

É um vocativo?

Indicando uma ironia

Algo você deve fazer todo dia

Ahhhhh…não sabe o que é um vocativo?

Eu explico

É um chamamento

Quando você direciona a fala

Mas tem que ter uma vírgula

Só pra diferenciar

Sabe o que é vírgula, né?

Aquela rabiola minúscula…

Vagabundo está em que sentido

Pode me tirar essa dúvida?

 

O policial estava estarrecido

“Substantivo, adjetivo, vocativo

Que porra é essa?

O que ele está fazendo comigo?”

Se sentindo ridicularizado

Ele liberou o professor

Cada um foi para o seu lado

 

Mas a história não acabou

O que mais me devastou

Mesmo sendo um simples narrador

É uma pergunta sem resposta

A qual eu faço para vocês

Me respondam, por favor

Na sua cabeça

Qual é a cor do professor?

 

(Anderson Shon, Um Poeta Crônico.)

Beijos & abraços crônicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s