CATANDO O CONTO #011 – E AÍ, COMO FOI O ENCONTRO?

Roteiro, locução e edição: Anderson Shon
Participação Especial da voz e alegria de Clara Elisabeth

E aí, como foi o encontro?

– Foi ótimo. – Ele falou enquanto tirava a carteira do bolso e algumas moedas que haviam sobrado do troco do uber.

– Foi péssimo. – Ela sentou na cama, mas logo levantou por perceber que havia trocado os lençóis pela manhã e não queria sujá-los com a roupa da rua.

– Ela tava com uma roupa meio esquisitona, sei lá, deve ser excesso de personalidade.

– Ele só gostou da minha roupa, nem parecia ouvir muito o que eu tava falando.

– Ela gostou do meu senso de humor, isso já ajuda, se num for pela beleza, vai pela piada.

– Ele é até bonitinho, mas conta cada piada, coitado, tive fingir dar risada incontáveis vezes.

– Ela chegou muito adiantada, quando eu apareci, parecia que estava lá há horas.

– Ele se atrasou, odeio atrasos, cheguei cedo pra aproveitar um bate-papo sem a muvuca da festa.

Mas você curtiu a festa?

– A festa foi demais, tocou umas músicas que não escutava desde a despedida de solteiro do Falcão.

– A festa foi um saco, não tinha quase ninguém e os poucos que estavam lá ficaram bebendo e gritando.

– Tinha um jogo de luz verde que ficava voando no teto da sala, faltava só muita droga pra ser uma rave, mas não dá pra pegar tão pesado, amanhã eu trabalho.

– Tinha um jogo de luz azul, uuuuurrgh!!!! irritante! Batia no meu olho, não dava pra ver nada, eu ficava brigando com os óculos pra poder enxergar, nem sei como vou trabalhar amanhã.

– O melhor foi o final.

– O pior foi o final.

– Eu a levei até um canto e peguei em sua mão, dizendo que só não ia beijá-la hoje, pois tinha bebido muito e não queria que nosso primeiro beijo fosse daquele jeito, muito cavalheiro, né?

– Ele me fez ir pra um canto e ficou falando um monte de besteira com um bafo de álcool insuportável, se eu tivesse um fósforo era capaz de incendiar aquilo tudo, grosseiro, né?

– Aí ela me deu um beijo no rosto, tão romântico, eu ainda tava no meio do discurso, mas ele foi tão bom que nem precisei terminar.

– Pra parar de sentir aquele bafo de dragão, dei um beijo no rosto dele e foi como mágica, ele calou a boca.

– Foi assim que a vida colocou ela pra mim.

– Foi assim que a vida colocou ele pra mim.

E marcaram o próximo encontro?

– Não lembro, mas eu acho que sim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s