Eduardo e Mônica – a face, respectivamente, do atraso e da esperança.– PenSHONmentos #011

Por si só, uma narrativa que apresentasse um militar caucasiano de meia idade, uma senhora negra profissional da saúde e nos perguntasse quem é o herói ou heroína e o vilão e vilã, a resposta seria mais fácil do que pregar um prego num sabonete. No último domingo, 17/01/2021, foi possível perceber o papel que cada uma dessas personagens terá nos livros de histórias que terão a difícil missão de explicar o caos social brasileiro diante da pandemia do, já velho, corona vírus. Não fosse só isso, a expressão sempre carrancuda de Pazuello é tudo que nós não queremos, diferente do sorriso largo e satisfatório da enfermeira Mônica.

Quem um dia irá dizer que minha maior emoção é ver um vídeo de vacinação…

Eduardo ainda não abriu os olhos. Fiel ao lema bolsonarista, o sinistro da saúde errou em tudo, até no que não tinha culpa; a sua nomeação. Se bem me lembro, o presidanto da república vociferava que seus ministros seriam especialistas em cada pasta e que não faria indicações por pressões, negociatas ou amizades. Se estivesse falando a verdade – o que é raro – não teria indicado Pazuello, pois o militar trabalhava com logística. Não que ele servisse pra isso também, já que era o coordenador quando aconteceu o maior desvio de arma das forças armadas no Brasil.

Quem um dia irá dizer que minha maior emoção vai ser o Bozo tomar no botão…

Mônica riu e já sabia o suficiente. Profissional da saúde, servidora pública, enfermeira da linha de frente. Ela não foi agraciada com a oportunidade de ser vacinada, era a vacina que tinha que se sentir honrada em ter contato com aquela pele jorrando melanina e sabedoria. Depois, a mesma em suas redes sociais, parabenizou Vanuzia Costa Santos, primeira indígena vacinada, mostrando que esse é o tipo de conquista que não faz sentido se vier de forma isolada. As duas, mulheres, guerreiras, representantes de minorias sociais, são a face da esperança do nosso povo.

Quem um dia irá dizer que minha maior emoção vai ser poder lamber um corrimão…

✨✨✨

Eduardo tinha avisado do Dia D e da Hora H

mas não explicou o que aquilo queria dizer

Enquanto Mônica entendeu que o D era de domingo

e o H de hospital das clínicas

E tudo era transmitido na TV

✨✨✨

E Eduardo foi pras redes sociais

Falar mal do Governador

Por ter iniciado a vacinação

Enquanto Mônica imunizada

Mostrava uma alegria nata

E agradecia a consideração

✨✨✨

Eduardo e Mônica nunca se conheceram

E espero que continue assim

Pois não vai dar tempo

De Pazuello se arrepender

Antes de ver o desgoverno do chefinho

chegando ao fim.

VEM VACINA!!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s