CANTANDO O CONTO #019 – O Demônio Vascaína

O baile de sexta servia para lavar a alma. A Santa Miclus era a única boate da região que conseguia sobreviver mesmo depois dos aumentos consecutivos do aluguel. Tanto do espaço quanto da “proteção”. A comunidade reunia o cansaço semanal naquele lugar e o despejava ao som das grandes duplas de funk que haviam nascido…

CANTANDO O CONTO #018 – Há Carne

Hoje, eu sorri, sorri e olhei para meu filho, ele também estava sorrindo, pois aquele ritual dominical que precede a chegada da segunda, veio com uma notícia perdida entre o turbilhão de más notícias reais e más notícias disfarçadas. Nossa família não era grande, um omelete com dois ovos e raspas de cenoura ralada era…

CANTANDO O CONTO #017 – O amigo Esperança

Talvez esse seja o conto mais difícil que já tenha tentado escrever na vida – essa deve ser a décima tentativa de início e foi a primeira que passou da primeira linha -, por isso te peço licença para quebrar a quarta parede e não ser somente o narrador ou autor dessa história, dessa vez…

CANTANDO O CONTO #016 – NÃO USE MÁSCARA

– Vocês têm máscara? – Um jovem carregando duas caixas de leite sem lactose se aproximou do caixa. Era um dia com pouquíssimo movimento, o que os funcionários adoravam e a patroa odiava, já o inverso, produzia exatamente o inverso. Após ouvir alguns gritos inaudíveis, me sentei no caixa para poder ter algum segundo de…